segunda-feira, 7 de maio de 2012

Blogueiros e resenhas

Caro amigo que acha que blogueiro que faz "trabalho sério" não aceita fazer resenha em troca de um livro:

Obviamente vc não conhece o sistema de "review". Por todo o mundo, blogueiros de diversos ramos diferentes recebem produtos para "review", ou seja, ler e dar seu parecer, sua opinião e falar com seus leitores sobre o produto, dizendo que é bom ou ruim. Conhece Techcrunch? Conhece Mashable? Conhece Petiscos? Conhece Garota Sem Fio? Sabe, blogs com audiência MUITO além da sua e que, UAU, aceitam produtos para review, usam e testam os produtos e depois escrevem sua opinião sobre os mesmos?

Oras, se você não aceita, problema seu, mas não venha dizer que é "se vender barato". Depende do que você imagina estar entregando. Se você vende sua opinião, não deveria haver preço que pagasse. Se você lê um livro e dá sua opinião, é uma empresa lhe enviando um produto para review. E, newsflash, é trabalho sério também.

17 comentários:

  1. "Caro amigo que acha que blogueiro que faz "trabalho sério" não aceita fazer resenha em troca de um livro: " vc poderia ter dormido sem essa......kkkkkkkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  2. Eu acho que ele está sendo um pouco utópico em achar que vai ganhar com blog,literário ainda, como disse se adaptar é melhor para esse tipo, eu mesma nem resenho por parceria, faço resenhas quando quero, só para avisar os mais desinformados como eu, de que um livro não é tanto bom quanto falam ou para indicar alguns que gosto, mas não vejo como um compromisso para fazer parceria ou ganhar qualquer coisa. 

    Esse meio é duro, quem espera entrar pra ser louvado nem entra, é mais fácil sair falido.

    ResponderExcluir
  3. Esse post parece fugir um pouco do modelo do blog, que não costuma adotar um padrão agressivo e sim levemente irônico. A questão da parceria, na minha opinião, é complicada. Posso citar blogueiros extremamente leais, que não elogiam livros apenas porque os receberam gratuitamente ao mesmo tempo em que recordo de VÁRIOS casos de livros medonhos que foram vendidos como a última coca-cola gelada do deserto e não eram tudo isso. E eram provenientes de parcerias.

    A questão é "Em quem confiar"?

    O que tem de blog e resenha mal feita por aí dá pra encher uma enciclopédia. E mesmo assim as parcerias continuam, baseadas muito no trabalho ''elogiativo'' que alguns blogs realizam. Acho que sempre temos que ter um pé atrás e eu sou muito desconfiada.

    Atualmente, uso dois blogs como referência para escolher meus livros: o TOC, da Luciana e o Free to be me, da Cíntia. O primeiro não tem parcerias, o segundo sim. O primeiro é pequeno e o segundo de tamanho médio. E passei a confiar apenas depois de meses acompanhando. Há outro blogs, blogs ENORMES, nos quais simplesmente não consigo confiar porque já segui suas resenhas e os considerei vendidos. Não tem como estabelecer um parâmetro e é muito complicado julgar.

    Continuo com um pé atrás e prefiro não correr atrás de parcerias. Especialmente porque não sei se eu conseguiria receber um livro de graça e sair por aí detonando-o. Prefiro detonar aqueles pelos quais paguei, que ao menos o faço com consciência tranquila.

    ResponderExcluir
  4. vergonhaliteraria7 de maio de 2012 21:53

    Acontece, quando escrevo o que vem na cabeça e publico antes do meu bom senso chegar pra revisar ;)

    ResponderExcluir
  5. Não  acho que o post ficou fora de contexto: atacar, ironizar, polemizar e tudo mais que acontece por aqui serve para os blogueiros abrirem os olhos e ter bom senso.

    É necessário às vezes falar escrachado para aqueles blogueiros que ficam de mimimi cair na real. Pq como bem diz o post aqui, aceitar livros para resenha não é coisa de pessoas desesperadas em ganhar livros (claro que há casos e casos), mas quem não sabe tirar proveito disso está sendo completamente IDIOTA. Afinal, já que tem um espaço que fala somente de livros, qual o problema em ganhar alguma coisa com ele?

    Claro que o blogueiro tem que se cuidar com as picaretagens das editoras e também ser leal com seus leitores na hora de opinar sobre um livro, mas isso já é comentário para outro post... hehehehe =D

    ResponderExcluir
  6. Ainda não entendi direito por que a declaração daquele cara causou tanta revolta. Não é a primeira vez que vejo alguém dizer algo parecido. Ele só foi um tanto pretensioso, mas, na minha opinião, nada que justifique mais do que alguns segundos de atenção.

    ResponderExcluir
  7. Não tenho idéia de qual foi o comentário que gerou essa discussão, mas enfim... Alguém dizer que blogueiro, para ser sério, não pode aceitar livro, só pode ser bem desinformado... ou ter a maior dor de cotovelo! Me parece o clássico "as uvas que estão longe do meu alcance estão ruins". Eu recebo inúmeros livros para avaliação e dou minha opinião sobre eles, nem sempre são boas, mas são sempre sinceras! E quem é que tem coragem de dizer que não faço um trabalho sério? Tem horas que penso em deixar a educação de lado e falar umas boas verdades!
    beijos

    ResponderExcluir
  8. Mas não podemos esquecer que tá cheio de blog que não tem parceria, mas escreve resenhas bizarras, completamente vendidas, porque depois vai tentar parceria e quer impressionar!! Gente sem caráter e vendida tem em todo lugar, com parceria ou não!

    ResponderExcluir
  9. Assino embaixo Camis, é exatamente assim que eu penso. 

    ResponderExcluir
  10. Ainda é sobre o que rolou no twitter uns dias atrás ou é assunto novo?
    Se for, entendi o que ele quis dizer - e os blogs literários acabaram entrando meio sem querer na história, porque é algo que ele realmente não conhece. Era mais em relação a quem trabalha com blogs e ganha por publicidade, o que não acontece com blogs literários. Talvez por todo mundo fazer isso de graça.
    Ah, e o site deve ter mais acessos que a maioria dos citados sim...

    Se é assunto novo, estou perdida rs 
    De qualquer forma, não entendo porque tanta rancor. Cada um pode ter sua opinião, se a pessoa acha isso, não sou eu que vou fazer ela mudar de ideia né?

    E tem coisas que fazem sentido sim. Falando do mundo literário, podemos citar os escritores. Esses tempos saiu uma crônica no jornal (não lembro qual escritor escreveu, acho que foi a Martha Medeiros), que alguns empresários (e pessoas de outras áreas) estavam "reclamando" porque os autores não cobravam nada para ir dar palestras e coisas assim, o que fazia as pessoas pensarem que não precisavam pagar nada para os outros também. Idem para apresentações, aparições em festas particulares, etc etc etc. O fato de alguém fazer um trabalho (bom ou não) de graça estava tirando uma fatia de mercado que antes as pessoas recebiam. 
    Tecnicamente é essa a reclamação. Imagina um blog de cosméticos. Nunca que um blog grande vai colocar uma marca ali sem estar ganhando uma boa grana por isso - só falando de dinheiro, não de produtos. Em blog literário é fácil, é só enviar livros e a pessoa ganha o seu espaço. As editoras não precisam pagar para ter um "publipost" dos livros que serão lançados, por exemplo.

    Novamente, não vejo problema. Porém entendo o que as pessoas reclamam, especialmente quem é de outras áreas. É um mundo diferente, e talvez se ninguém fizesse a "propaganda" as coisas seriam diferentes. Só que estamos falando de pessoas que não usam o blog como fonte de renda, e sim apenas como diversão, passa-tempo ou qualquer coisa assim (fazendo um trabalho sério ou não). Eu me sinto feliz em receber livros para ler e vou continuar com o blog enquanto isso for bom para mim. Não recebo nada por isso, se um dia receber beleza, mas nunca pensei em largar o meu trabalho e ir viver disso. 

    Os blogs literários são alguns dos poucos que trabalham e fazem divulgação sem receber. Isso é fato. Blogs de moda, tecnologia, humor.. todos recebem um valor para fazer uma propaganda de vez enquando.
    A diferença é que no mundo literário, todos tem chance de receber produtos sem ter um blog grande. Nesses outros, hoje dificilmente um blog pequeno irá receber dinheiro OU produtos sem ter alguns anos de estrada e um excelente número de seguidores.

    O comentário ficou maior do que o post original, que beleza :p

    ResponderExcluir
  11. vergonhaliteraria8 de maio de 2012 13:21

    Olha, o assunto, até onde sei, é de ontem, mas posso estar enganada. Talvez você esteja pensando no assunto errado.
    Não, o site dele não tem mais acessos do que os sites citados. Believe me. Considere que a AOL pagou 30 milhões de dólares pelo Techcrunch e depois venha me dizer que ele tem menos acessos que um sitezinho qualquer sobre livros.
    Mesma coisa blogs de cosméticos - MUITOS falam dos produtos apenas ganhando produtos. Os maiores podem até não fazer, mas a grossa maioria faz. E isso não impede que os maiores cobrem, nem destroi o mercado.
    Ele estava reclamando, exatamente, de blogs que aceitam fazer resenhas em troca de livros e que estava atrapalhando o "trabalho sério" dele.

    ResponderExcluir
  12. Não é a mesma pessoa então, ontem ela não falou nada sobre isso :)

    ResponderExcluir
  13. Letícia, concordo com você, tenho parceria com editoras, mais como você disse é mais fácil sair falido do que louvado com toda a certeza, para ter um blog tem que gostar muito do que faz e faze-lo para você, e não para os outros, se fosse ter um blog pensando em agradar o outros dai não daria certo mesmo.

    ResponderExcluir
  14. Estou sinceramente tentando entender certas coisas. Primeiro, os blogs surgiram justamente por ser uma forma gratuita de todo e qualquer mortal escrever sobre o que quiser na internet certo? A internet dá aos pobre mortais que trabalham em áreas diversas se expressarem de forma livre, obviamente isso não significa mensagens de ódio, rancor e preconceito, que existem também, porém não veem ao caso.
    O que eu quero dizer é que os blogs foram feitos para serem gratuitos e se quem faz um blog sobre livros recebe ou não livros pra resenhar isso não faz diferença. Se eu não tivesse nenhuma parceria eu continuaria resenhando sobre os livros que eu compro simples assim.
    Existem livros, revistas, jornais entre outras coisas que são distribuídas gratuitamente e isso não tirou o emprego de ninguém, é só uma forma diferente de abordagem. Existe em vários seguimentos.
    Profissionais da área continuam profissionais da área só não podem querer restringir o uso de uma ferramenta que é gratuita e que promove a interação e inclusão de toda uma população ao seu único uso por ter um diploma do que quer que seja.
    Eu recebo livros pra resenhar, se tivesse um blog sobre cosméticos adoraria receber cosméticos pra resenhar, e se não recebesse nada continuaria escrevendo. Será que cada conselho de classe agora surgirá com uma taxa feito ECAD pra nos proibir de darmos a nossa opinião com os recursos que temos, sobre o que quisermos?  A maior prova de que blogs são gratuitos e que podem ser feitos por QUALQUER UM independente da profissão é o fato de não cobrarem domínio.
    É esse tipo de pensamento tacanho que impede o crescimento da leitura no Brasil, essa necessidade de monopolizar a cultura no meio " pop" como se fazer faculdade fosse uma prova de qualidade. Só posso dizer que lamento.

    ResponderExcluir
  15.  Faço minhas as palavras da Samantha

    ResponderExcluir
  16. Ontem no Blogueira Shame saiu algo parecido sobre isso: 
    http://blogueirashame.blogspot.com.br/2012/05/baphao-do-dia.html
    E ela comenta:
    "Ok, uma multinacional ryca não tem verba para pagar por publicidade em blogs e oferece três protetores solar em troca do post.Blogueira séria e que dá valor ao seu trabalho para por aqui, as mortas de fome aceitam a "permuta" e recebem as "orientações": "

    Só para ilustrar que nos blogs de moda, maquiagens e afins também não é considerado "trabalho sério" trabalhar por produtos.

    Como tu falou, não impede que os maiores cobrem e nem acho que influencia muito na vida deles, porém eles também tem esse tipo de pensamento.

    ResponderExcluir
  17. vergonhaliteraria11 de maio de 2012 09:31

    É, só que na verdade, *todas* as blogueiras aceitam permuta ;)
    A diferença é que, normalmente, há um custo estabelecido. Por exemplo, blogueira x só faz sorteio se você mandar 3 produtos de mais de R$ 400,00 cada. Um para ela, dois para sorteio. Aí ela está cobrando como se fosse em dinheiro, mas dá o direito de pagar em produto.
    E ainda há a forma de review. A empresa manda um produto, sem nem perguntar muito e o blog usa, testa e decide se quer ou não publicar - normalmente publica mesmo que seja para dizer que não acha grande coisa.
    Os dois lados têm de se valorizar, mas não é dizendo que os blogueiros que fazem review não fazem "trabalho sério" que isso vai acontecer. :)

    ResponderExcluir